sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

In Treatment: Mia Wasikowska /Sophie




Mia Wasikowska nasceu em 14 de outubro de 1989 em Canberra. Fez vários filmes entre eles Alice no País das Maravilhas.


Anna Colden, advogada da Sophia, recomendou Paul para ela. Sophie tem 16 anos é uma ginasta desde os 6 anos e meio de idade e é uma otimista olímpica. Foi campeã americana júnior aos 12. Tem asma. É filha única, seus pais são separados; seu pai , James, é fotografo e sua mãe é Olivia. Sophia chama Paul de velho ranzinza.


A companhia de seguro do carro que “atropelou” ela tem um problema sobre os danos que sofreu e ela foi a Paul para obter opinião profissional dele e não para fazer terapia. Ela contou a historia do seu acidente:

“Estava na minha bicicleta e um carro veio em minha direção e não lembro o que aconteceu depois".


Ela fez o ensino fundamental em Arlington, onde a filha de Paul estuda só que ela se mudou para uma escola particular.

Sophia: Você é assim chato com sua filha?
Paul: Muito, muito pior, acredite. E sim, tento entender minha filha”


Cy é o treinador com quem ela teve realções sexuais


Sophie era babá de Dana filha de seu treinador Cy com a esposa dele Darlene. Darlene teve que viajar para Wisconsin e Sophia continuou a cuidar da menina na ausencia da mãe e Cy e ela tiveram um caso:


Ela conta: “Darlene confiou em mim e arruinei tudo. Ele sempre tentava me evitar. Sempre dizia: "Sophie, não sabe o que está fazendo vamos chegar a um ponto onde não haverá mais retorno." No início, achava que fosse apenas minha imaginação. Então ele parou de falar comigo quando Darlene estava em casa. Como se estivesse envergonhado, escondendo alguma coisa. Às vezes o pegava suspirando enquanto estava me olhando. Ele me ama, sei que ama. Eu sabia que mesmo antes de Darlene ir embora, ele já me amava. Ela foi embora por seis meses, mas ele não transava comigo. Mesmo sabendo que todos achavam que fazíamos. Que fazíamos isso há meses. Cy disse que havia um limite que não iríamos ultrapassar. Dormíamos na mesma cama. Apenas dormindo. E uma noite antes de Darlene voltar, acordei no meio da noite. Ele estava acordado e aconteceu. Eu nem senti nada. Era como se eu estivesse assistindo televisão em preto e branco e vendo meus e-mails ao mesmo tempo. Não parecia que eu estava ali. Não sei. No outro dia fingimos que nada aconteceu no treino da tarde brigamos feio na frente de todo mundo porque caí da trave. Fui inclinando para trás e por algum motivo achei que a trave fosse um pouco maior e me inclinei de mais. Caí de costas. E fiquei lá, tentando respirar. Com medo de me mover de ter quebrado alguma coisa. Aí o Cy começou a gritar comigo: "Temos dois dias até o campeonato e você não está concentrada! Volte lá e faça direito!" Nessa noite eu dormi no sofá. Aí no meio da noite o Cy veio e pensei que ele queria que eu levasse a Dana de volta para a cama. Então levei-a para a cama e conversamos ele ficou falando do meu potencial disse que as nossas carreiras acabariam se isso viesse à tona e que tínhamos que parar. Quase transamos de novo, mas ele não quis. Foi isso. Algumas semanas depois, Darlene disse que queria conversar comigo falou que a Dana ficou muito ligada a mim enquanto ela estava em Wisconsin e eu deveria me afastar por um tempo. Ela estava mentindo. Somente pedi desculpas. Quando fui embora, Darlene me deu o presente que trouxe de Wisconsin: Um avental com vaquinhas. Ela sabe que gosto de cozinhar e que coleciono coisas com vacas e o acidente aconteceu nessa noite”.

Ela contou a história do acidente para o Paul depois de muitas sessões:

“Na noite do acidente quando saí da casa de Darlene e Cy subi na bicicleta dele  e de repente não conseguia mais respirar, meus pulmões se fecharam. Havia uma curva fechada no final da colina e quando eu virei a volta um carro branco quase me atingiu. O assento estava me machucando pois a bicicleta era masculina então o assento era estreito. Por isso estava me machucando. O carro branco estava com os faróis altos, que me cegaram desviou-se de mim e então buzinou. Foi tão estranho. A estrada começou a vir em minha direção meio que me levando muito rápido, como se eu estivesse caindo de um lugar bem alto, eu queria isso. Queria ouvir uma enorme explosão e depois não ouvir mais nada. Estou tentando me matar. Foi como se já tivesse acontecido antes. Assim que o carro passou, eu sabia que ia sofrer um acidente. E me senti calma. Eu virei o guidão só um pouco para a esquerda. Lembro de ter pensado: "Se virar apenas um pouquinho, já é o suficiente." Então derrapei para o meio da estrada. Era impossível outro carro não me atingir, e me senti livre. Livre e forte. A adrenalina era tanta, que parecia que nada poderia me atingir. Então eu estava no meio da estrada. Havia esses gritos horríveis e depois o barulho. Lembro de ter dito a mim mesma: "oh." Apenas: "oh." E depois voei pelo ar. Conseguia respirar novamente. Entrou todo esse ar em meus pulmões. E quando estava lá caída, lembra-se o que finalmente tinha-a matado”.


Depois de ela conta o acidente Paul no episódio 1x23, eles conversam mais sobre o que ela disse:  

Paul: Lembra que me disse que depois do acidente pensou: "Finalmente a matei." O que quis dizer com isso?
Sophia: Não sei.
Paul: Nossa personalidade tem dois lados: um lado fraco e um forte e eles estão sempre em conflito. Às vezes o lado fraco é traiçoeiro e astuto, e vence. Por exemplo, quando deixa que alguém te compre um sapato, que na verdade você não quer ou quando faz sexo com alguém com quem não deseja.
Sophia: Odeio esta parte de mim.
Paul: Mas faz parte de você, Sophie.

No episódio 1x18 Sophie conta para Paul que foi numa festa e ficou bêbada e acabou transando com o cara que servia tequila e ela não sentiu nada assim como ela transava com Cy e depois tentou se matar tomando remédios que achou no banheiro do consultório.

Paul acha que as tentativas de suicídio dela são como um teste para ver se ela pode confiar na pessoa. Devido à tentativa de se matar dentro do consultório de Paul e as constante ameaças de suicídio eles fazem um acordo que ela não tentaria se matar enquanto estiver fazendo terapia.  Quando Olivia foi ao consultório de Paul, a pedido dele, Sophia a trata mal, ameaça ela dizendo que vai se matar e humilhando-a. ela tiveram uma discussão feia na frente do Paul, em que Sophia fala para ela:

“Que sou uma criança que precisa de permissão para tudo? Se eu quiser treinar, eu treino. Se eu quiser me matar, eu me mato. Se eu quiser foder com o Cy na cama do hospital, enquanto você está lá fora batendo na porta, eu faço”.

Ela diz que a mão dela é patética, mas Paul dá uma bronca nela:

“Quer saber? Não a acho patética. Na verdade, acho que ela é muito forte. Engole toda a merda que você fala e ainda volta para ouvir mais. Mas quer saber de uma coisa? Você a castiga de várias formas e ela nunca te abandonou. Sei que não quer ouvir isso, mas acho que também não quer abandoná-la”.

Sophie e a mãe


Paul leu para ela o começo de sua avaliação:

“Durante a primeira sessão pareceu ser bem impressionante. Sensível. Muito madura para sua idade. Muito inteligente. E tem uma personalidade altamente independente".










*Sites com informação sobre Wasikowska
*Fotos:






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Este é um espaço de diálogo e troca entre os visitantes do blog. Compartilhe sua opinião respeitando a opinião dos demais. Todos os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam, de maneira alguma, a posição do blog. Reservamo-nos o direito de excluir qualquer comentário que julgarmos inoportuno ou que não esteja de acordo com a política do blog: Não serão publicados comentários com xingamentos e ofensas ou que incitem a intolerância ou o crime.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...