domingo, 27 de fevereiro de 2011

Bruno Heller criador de O Mentalista fala para o site do SBT

 
Post in: SBT

Entre as recém-criadas séries de TV, O Mentalista é a de maior sucesso atualmente nos Estados Unidos. Logo na primeira temporada, um dos episódios foi o de maior audiência da semana na TV americana, algo que não acontecia desde 2004, com o lançamento de Desperate Housewives. Só que nem tudo são flores ao longo da trajetória do programa.

Na fase de pré-produção, a série chegou a ser recusada pelas produtoras mais conceituadas de Hollywood, como a Jerry Bruckheimer Television, de Jerry Bruckheimer, criador de CSI, Arquivo Morto (Cold Case) e Desaparecidos (Without a Trace). “Nós dissemos não ao Mentalista na época porque não achamos que seria uma boa parceria pra gente”, revelou Jonattan Littman, hoje Produtor Executivo de Dark Blue. “E que lição você tomou dessa experiência?”, pergunto. “Que talento é tudo”, responde ele.

Bruno Heller, o criador da série, disse que por pouco não desistiu depois da frustração. “Em televisão não se insiste. Se alguém diz não a um projeto, você diz tudo bem, e parte pra outra. É como um jogo, não há segundas chances. Assim como O Mentalista deu certo, outros 20 pilotos que surgiram na mesma época poderiam ter funcionado também. Você tem que estar no lugar certo, na hora certa e no horário certo na grade de programação”.

O motivo do sucesso mundial

A história de O Mentalista se passa na Califórnia. A escolha foi intencional, pois os criadores acreditam que um cenário bonito pode contribuir bastante para o sucesso de uma produção: “Queremos mostrar a Califórnia ao mundo, que é um lugar tão bonito... Esse foi um dos motivos do sucesso de Baywatch -  praia, garotas em biquínis... o que é bonito é pra se mostrar”, diz Chris Long, um dos Produtores Executivos.

Bonito em relação ao cenário, já que em O Mentalista não há qualquer outra semelhança com o programa que consagrou Pâmela Anderson no inesquecível maiô vermelho de salva-vidas. “Esse é um programa que pode funcionar em qualquer país, não só nos EUA ou na Grã Bretanha, mas também na Austrália, China, Brasi...”, conta o criador Bruno Heller. “Ao contrário de muitas séries que se focam na cultura pop americana e fazem várias referencias à vida nos EUA, queríamos criar algo que fosse universal”, completa.

E eles conseguiram. O Mentalista já é exibido em mais de 40 países, e agora pela primeira vez chega à TV aberta brasileira. Um sucesso que nem os criadores imaginaram que seria tão rápido. “Quando a série foi lançada, os Estados Unidos passavam por uma crise financeira, então as pessoas não queriam lidar com assuntos relacionados à recessão, à política ou à guerra. Todos queriam chegar em casa e relaxar. Talvez se fosse hoje, ou dois anos antes, o sucesso não seria o mesmo”, diz Chris Long.

Lie to me: Paul Ekman e seus trabalhos

 

Paul Ekman (1934, Washington DC) é psicólogo foi o pioneiro no estudo das emoções e expressões faciais. O personagem Cal Lightman da série de televisão Lie to Me é baseado nele e em seu trabalho.


*Livros:

-  Unmasking the Face
- Emotions Revealed: Recognizing Faces and Feelings to Improve Communication and Emotional Life
-  Telling Lies: Clues to Deceit in the Marketplace, Politics, and Marriage
-  What the Face Reveals (com Rosenberg, E. L., Oxford University Press, 1998) 
- The Nature of Emotion: Fundamental Questions (com R. Davidson, Oxford University Press, 1994)
-  Darwin and Facial Expression: A Century of Research in Review
-  Facial Action Coding System/Investigator's
-  Why Kids Lie: How Parents Can Encourage Truthfulness
-  Handbook of Methods in Nonverbal Behavior Research
-  Face of Man
-  Emotion in the Human Face


*Site sobre o F.A.C.E. Training (Treinamento de reconhecimento de faces): 



Post in: notícias R7



Ekman é especialista em pesquisa de emoções e comunicação não verbal. Psicólogo aposentado da Universidade da Califórnia, ele criou um programa de computador que treina as pessoas a detectar mudanças nas expressões faciais, sinais que indicam o que cada um está sentindo no momento.


O professor descobriu as principais pistas de comportamento para a mentira. Ele criou um programa de uma hora de duração que treina as pessoas a observar e entender as chamadas microexpressões faciais que deixam vazar mentiras em décimos de segundos.  


O site oferece três treinamentos (em inglês) de diferentes níveis. A ferramenta de treinamento de microexpressões (METT Advanced Online, na sigla em inglês) custa R$ 128,54 e é destinada a policiais, vendedores, médicos e educadores.


A METT Original Online, que é mais básica e ensina a detectar as principais microexpressões, custa R$ 37,26. Já a versão baseada no CD-ROM, que ensina a reconhecer expressões sutis (SETT Online Original, na sigla em inglês), sai por R$ 72,65.


A tese do professor é a de que, quando uma pessoa mente o corpo dela a denuncia contra sua própria vontade. Quando ela usa a razão para contar uma história deslavada o cérebro dela cria, ao mesmo tempo, uma resposta emocional. A contradição entre os dois impulsos provoca ansiedade, levando a alterações nos sinais vitais, como aumento da pressão sanguínea, dos batimentos cardíacos, da transpiração e da salivação.


No livro Contando mentiras (Telling Lies, em tradução livre), Ekman conta que viajou mundo afora nos anos 1960 para testar sua ideia de que as expressões faciais fazem parte da natureza humana, não são só um reflexo da cultura de cada povo. Em vinte anos de pesquisas, ele identificou mais de 10 mil variações da fisionomia e conseguiu determinar como cada uma delas se relaciona aos diversos estados emocionais.


Nos últimos anos, o doutor se dedicou a estudar as microexpressões. No dia a dia, as pessoas tendem a mascarar o que sentem, transformando a raiva em um sorriso amarelo, por exemplo. Mas, por causa da atividade involuntária de alguns músculos, o rosto acaba deixando vazar as emoções reais automaticamente. Décimos de segundos depois, ao perceber que as emoções foram reveladas, a pessoa altera a expressão.


O doutor Ekman diz que seu método não é 100% confiável porque existem pessoas com o dom da mentira, que são capazes de enganar o mais treinado discípulo dele.


*Site: http://face.paulekman.com/aboutmett2.aspx


*Micro expression Training Tool METT (Treinamento para reconhecer as micro-expressões) para Download:





*Livros e Textos para Download:

- 4Shared


*Comprar os livros: Travessa

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Gabriel Byrne Revela ter Sofrido Abuso Infantil




Em entrevista ao talk show "The Meaning of Life", Gabriel Byrne, da série "In Treatment", revela fatos sobre sua infância a qual passou na Irlanda. Gabriel passou 5 anos em um seminário com o objetivo de se tornar padre. Algo que não se tornou realidade, pois ao ver uma menina usando minissaia subir em um ônibus, ele percebeu que não tinha vocação para padre. Mais tarde, estudou arqueologia e posteriormente se tornou ator.

Durante a conversa, ele fala sobre duas ocasiões em que sofreu abuso sexual infantil. A primeira teria ocorrido na escola em que estudou a "Congregation of Christian Brothers" e a segunda, quando tinha 11 anos de idade e estudava em um seminário na Inglaterra para ser padre. De acordo com Byrne, a segunda ocasião foi muito mais grave que a primeira.

Segundo o ator, ele não acreditava que os fatos eram importantes na época; e mesmo posteriormente, não achou que eles teriam algum impacto ao longo de sua vida. Mas, ao fazer um retrospecto e de como teve dificuldades com certas questões, ele conclui que os abusos tiveram alguma influência direta em seu alcoolismo e depressão.

Seus problemas com o álcool e depressão já tinham sido discutidos pelo ator anteriormente, que acredita ser um problema crítico entre os jovens na Irlanda.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Bridge Moynahan na revista "More"



Em entrevista à revista America "More", ela disse: "Meu filho tem dois pais amorosos e uma família alargada, com primos e madrasta. Meu filho está cercado de amor.”

Embora Bridget, 39, esteja feliz com a atual situação familiar, ela admite que preferia ter tido um filho estando casada. "Nenhuma menina cresce sonhando em ser uma mãe solteira. Mas não há um segundo eu me arrependa de ter tido um filho sozinha".

Moynahan, que descobriu que estava grávida após terminar com o jogador, quando ele já estava com Gisele, falou sobre como é criar sozinha o filho John.

"Em nenhum momento eu me arrependi de ter dado à luz sozinha. Mas acho que nenhuma garota sonha em ser mãe solteira", disse a atriz.

"Ele [Brady] não estava comigo na hora do parto, mas viu vídeos depois. Ele certamente não estava segurando minha mão quando dei à luz".

No entanto, a atriz diz não guardar rancor do casal. "Eu nunca fiz um comentário público sobre Gisele ou Tom. Eu me relaciono com essas pessoas diariamente. Estou criando um filho. Meu filho tem dois pais que o amam muito e uma família grande, seja ela composta por primos, madrastas ou namorados. Meu filho é cercado de amor", disse.

Moynahan disse também que soube quem eram seus verdadeiros amigos quando ficou grávida.

“Foi uma completa surpresa e houve gente com quem havia estado um milhão de vezes que não me deu um telefonema sequer. E houve amigos com quem não falava há anos, que apareceram (para dar seu apoio).” Tem esse vídeo de Bridget Moynahan com o bebe: http://x17video.com/celebrity_video/bridget_moynahan/

O novo filme de Bridget, Invasão do Mundo: A Batalha de Los Angeles: A trama mostra um grupo de soldados que tenta combater uma invasão alienígena na cidade de Los Angeles. O filme tem partes filmadas em forma de documentário, ao estilo de “Distrito 9“. 



O filme tem no elenco nomes como Aaron Eckhart (“O Cavaleiro das Trevas”), Michelle Rodriguez (“Velozes e Furiosos 4”), Michael Peña (“Crash – No Limite”), Ramon Rodriguez (“Transformers: A Vingança dos Derrotados”), Bridget Moynahan (“O Senhor das Armas”), Lucas Till (“Hannah Montana – O Filme”) e o cantor Ne-Yo.


Dirigido por Jonathan Liebesman (“O Massacre da Serra Elétrica: O Início”) e com roteiro de Scott Silver (“8 Mile”) e Christopher Bertolini (“A Filha do General”), “Battle: Los Angeles” está previsto para estrear nos EUA no dia 11 de março de 2011 e no dia 18 de março no Brasil.








Fontes:


quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

The Mentalist: Simon Baker fica constrangido ao ver vídeo de início de carreira no 'Late Show'



No " Late Show" que foi ao ar na madrugada no dia 28/09/2010 à 1h, o ator Simon Baker passa por uma saia justa ao ser pego de surpresa com a exibição de um videoclipe do qual participou em 1991. Letterman faz graça com Baker, que aparece dançando nas imagens. 


The Mentalist: Entrevista com Simon Baker no Séries Etc


  Post in: Séries Etc

Se a habilidade de Patrick Jane em ler o comportamento das pessoas impressiona em "The Mentalist", na vida real esse dom assusta bastante o protagonista da série. "Conversei com alguns mentalistas e os achei um tanto quanto assustadores", confessou o ator Simon Baker, em entrevista ao Séries Etc..

No papo, Baker ainda apontou os motivos que o levaram a fazer a série, revelou que deseja ver Patrick Jane falhando em seus palpites e até disse o que faria se ele tivesse o mesmo dom de seu personagem - "Isso seria um estrago", brincou.

Confira a entrevista:

O que o atraiu a fazer a série?

Foi o roteiro. Estava na Austrália quando o li. Na verdade, minha esposa o leu primeiro e o achou muito bem escrito, mas a personagem feminina parecia melhor do que o meu personagem. Então, liguei para o Bruno Heller (criador da série) para discutir isso. Conversamos e vimos que tínhamos as mesmas idéias. Ambos queríamos fazer da série algo que fosse equilibrado entre o apelo do personagem e da trama.

Qual o lado divertido de se fazer "The Mentalist"?
Posso apontar o personagem para diversas e ilimitadas direções, porque ele é estranho. Ele é extremamente sério mas tem também um grande senso de humor e não é totalmente imprevisível. Os roteiristas me incentivam a improvisar, o que é empolgante. Nenhum dos outros atores sabe o que farei e às vezes nem eu mesmo sei (risos), mas as coisas simplesmente acontecem. Então, há muito o que fazer com o personagem, e é por isso que é tão divertido interpretá-lo.

Durante o seu processo de pesquisa para viver o personagem, você teve a chance de conhecer mentalistas da vida real? 
Eu conversei com alguns caras e, honestamente, eu os achei um tanto quanto assustadores (risos). Fiquei com medo deles. Bruno Heller um dia me disse que a mágica é uma forma de agressão reprimida, uma vez que é algo controlador. Então, o conceito de que você pode se sentar com alguém e essa pessoa possivelmente estar controlando você me assusta um pouco.

O que você aprendeu com eles?
Aprendi que há uma grande diferença entre videntes e mentalistas. Videntes têm poderes e mentalistas possuem técnicas e habilidades de observação, usando a neurolingüística. Um mentalista precisa ser incrivelmente observador, saber ser passivo e ativo ao mesmo tempo. Então, eles podem fazer você se sentir confortável e achar que está conduzindo a conversa mas, ao mesmo tempo em que se comportam de forma passiva, estão também te influenciando e sugerindo coisas.

Se você tivesse essa habilidade, como a usaria?
Isso seria um estrago (risos). É uma daquelas coisas que você questiona se gostaria ou não de saber. Eu não estaria tão interessado em saber como seria, mas talvez esse dom tivesse me ajudado em algumas de minhas escolhas de papéis ao longo de minha carreira (risos), em saber o que os outros pensavam ou mesmo no que eu estava pensando (risos). Talvez eu a usasse para ficar de olho na minha filha. Ela tem 15 anos e se comporta bem, mas às vezes ela é espertinha demais (risos).

O que vai acontecer quando Patrick não estiver certo? Como a série vai evoluir a partir disso?
Acho que funciona melhor se Patrick não estiver certo o tempo todo. Isso dá vida a ele. Cresci assistindo a reprises de séries como "Kojak" e "Columbo", e em diversas vezes eles estavam errados, e isso os fazia mais interessantes. E também fica mais interessante eu estar errado de vez em quando porque sou muito esnobe (risos).

E Simon Baker, está sempre certo?
Queria eu! (risos) Às vezes eu finjo estar, mas dizer que os homens estão sempre certos não é algo que funciona em minha casa, diante de minha filha de 15 anos e da mulher de personalidade forte que é a minha esposa.


Lie to me: Relação Emily e Cal


A relação de pai e filha deles é bem agradável. Eles se respeitam, Cal é um pai muito coruja e super protetor e Emily tenta sair dessa proteção exagera com muita classe sempre respondendo a altura, mas sem criar conflitos graves. Emily concerteza é o ponto fraco dele. Ela faz umas perguntas que coloca ele em bico de sinuca, ás vezes perguntas que sempre quisermos fazer para ele e estas fazem ele refletir um pouco sobre o que ele sente e se comporta.

Eles sonversando sobre o relacionamentos amorosos deles:

Cal: Cadê o Liam?
Emily: Irônico... É a primeira vez que acerta o nome dele, e nós dois...
Cal: Você está bem?
Emily: Sim, tudo bem.
Cal: Liam é um idiota.
Emily: Na verdade, fui eu quem terminei.
Cal: Sério? O que ele fez?
Emily: Nada, esse é o problema.
Cal: Certo... Pode me contar. Sabe que pode. Sabe que vai me contar de qualquer jeito. Nós somos assim. Sem segredos.
Emily: Liam não quer fazer sexo antes do casamento. Está rindo?
Cal: Não, não... Você nunca sabe.
Emily: Todos aqueles exercícios eram para substituir outra coisa.
Cal: Foi um grande desperdício de peso.
Emily:  Você é um babaca às vezes.
Cal:Está descobrindo isso agora?
Emily: Você é engraçado.
Cal: Eu sei. Que tragédia...
Emily: Tenho uma pergunta...
Cal:Que olhar é esse?
Emily: Gillian, você a ama?
Cal:Claro que sim.
Emily: Quis dizer se realmente ama.
Cal: Sim.
Emily: Então o que está esperando?
Cal: Não tenho a resposta para essa pergunta.



Num episódio Emily estava ensaiando para um debate na escola e Willian estava ajudando ela e Cal acabou se juntando a eles no ensaio:












*Fotos:


terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

The Mentalist: Entrevista com Simon Baker no Sbt



Post in: Sbt

Com o sucesso de O Mentalista, a nova série do SBT, Simon Baker tem Hollywood a seus pés. Mas em meio a tanto sucesso, uma coisa já preocupa o ator: “Será que em algum momento vou conseguir apertar o botão pra desligar isso tudo?”, questiona o galã em entrevista ao site do SBT. Para alguém que se define com um eterno teimoso e perfeccionista, foi graças a essas qualidades que conquistou o público de forma tão rápida. E exatamente por isso, parece que a aposentadoria e o anonimato estão ficando cada vez mais distantes.

Na primeira vez que você leu o roteiro, você entendeu de imediato e gostou da essência da história? Pergunto porque muitos executivos não captaram a idéia.

O personagem que eles leram na descrição não é o personagem que interpreto. É claro que há alguns elementos, mas sempre que aceito um projeto, quero estar bem mais envolvido no sentido de ajudar a criar o personagem. Mas naquela época, nem nós o conhecíamos por completo, e sinto como se meu trabalho também fosse interpretá-lo para os outros, mostrar como ele vive e respira, o que ele acha engraçado e o que está pensando quando diz uma frase qualquer do texto.

E adoro encontrar um personagem que não está bem desenvolvido, porque isso me dá várias oportunidades para criar. A melhor parte do meu trabalho com o Bruno [Bruno Heller, o criador da série], é que ele me permite explorar. Ele escreve ótimas situações para colocar o personagem, e agora que nós dois já o conhecemos bem, eu contribuo bastante. 

Você aprendeu alguma coisa com o personagem?

Aprendi sim. Aprendi como mentir muito bem (risos). Sério! Hoje, minto como profissão!

Ao interpretar O Mentalista, você sente a pressão como se fosse um homem carregando o programa nas costas ou é no fundo uma grande sensação de liberdade?

Essa é uma boa pergunta... Acho que os dois. É uma grande liberdade criativa quando o Bruno e eu conversamos sobre algo. Estou numa posição em que posso dizer “isto não está funcionando” ou “isso é certo” ou que eu gostaria de tentar isso. Eu tenho essa liberdade. Mas isso é realmente só por causa da confiança entre mim e o Bruno. Mas há uma pressão? Claro! Esse é um negócio de gente grande.

Então o que você está dizendo é que só quer seguir em frente com o trabalho?

É, só quero continuar. Eu sou um cara criativo. As pessoas querem falar sobre o meu cabelo todo dia. Bem, eles podem falar sobre o meu cabelo todos os dias, mas eu vou seguir em frente. É só um cabelo! (risos)

O Patrick mudou tanto desde o início da série... Ainda há mais para aprender? Ou existem outras faces que ainda vamos ver?
Pode ser. Acho que sim...

Como você trabalhou a evolução do personagem? Como ele é único na televisão, não sei se você encontraria alguém assim... Há pessoas que fazem essas coisas?

Olha, eu sempre gosto de interpretar de uma maneira diferente de como acho que todo mundo iria interpretar. É a minha natureza. Sou o garoto rebelde. É quem eu sou. Se as pessoas te dizem pra não tocar em algo, logo que eu chegar eu vou tocar. Na verdade, foda-se, eu vou tocar agora mesmo. É isso o que vai acontecer, eu não posso evitar.

A sorte foi que o Bruno entrou nessa também. Sou quase como o anti-herói americano. Eu não gosto de armas. Então vamos fazer o oposto. Todas as outras séries são só policiais. Muitas armas, uma espécie de pornografia policial. Eles puxam as armas, tiram as lanternas, se agacham e fazem flexões... Eu gosto da natureza imprevisível dele. Esta é a natureza humana.  

Uma tendência atual é que muitas séries estão tentando se afastar da imagem de drama e crime em excesso. O Mentalista parece estar à frente da curva. É o charme da série?

Eu acho que se trata de um equilíbrio. Isso é bem interessante, porque o que acontece é que quando você tem um ano onde um programa é um sucesso absoluto, em seguida, todos os próximos pilotos são meio que derivados do conceito inicial, e mais nada. Sinto muito, mas um conceito sozinho não vende a idéia. O público é muito habilidoso, então tudo tem que ser uma combinação. É por isso que é tão difícil apontar o dedo e explicar porquê esta série é tão bem sucedida. É uma combinação do conceito com o elenco, com o tom do roteiro... Há tantas coisas diferentes! E tudo também depende do contexto e da psiquê do público.

Você teve uma festa e tanto de aniversário no ano passado. Como você se sente com isso tudo? E você acha que estaria preparado para este tipo de sucesso se fosse um pouco mais jovem?

Não!

Por que não?

Porque eu era um pouco selvagem. Eu não me cansava tão facilmente quando eu era mais jovem. Mas na verdade eu não sei... Quem sabe? Pelo fato de que sou um ator e que posso fazer o que eu amo, e que pude viver disso nos últimos 20 anos, acho que sempre fui bem-sucedido nesse sentido. Mas quando você fala sobre níveis de sucesso, o sucesso do dia pra noite - que é como quando uma série de repente está presente em vários países, e todo mundo está assistindo - isso realmente acontece do dia pra noite. E isso é um pouco estranho. Eu ainda sou um cara normal e tudo o que quero é fazer a minha parte.

Qual foi a sua reação quando você percebeu que tinha atingido esse nível de sucesso? Qual foi sua primeira reação, o seu primeiro pensamento?

Será que em algum momento vou conseguir apertar o botão pra desligar isso tudo? Vai chegar uma hora em que vou querer desaparecer, meio que entrar no buraco do coelho, sem que ninguém nunca mais ouça falar de mim, nem que fui o Mentalista.

Essa foi a primeira coisa que você pensou?

Não exatamente, mas ainda quero um dia desaparecer na obscuridade. Quero envelhecer de forma graciosa.  Não que esta tenha sido necessariamente a minha atitude inicial.

Então você não respondeu à pergunta...

Talvez não. (risos)


segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Fringe: Revistas em quadrinhos do nosso universo e do universo paralelo

Olá Pessoal!!

Quem acompanha Fringe sabe que durante a segunda temporada no universo paralelo apareceu algumas capas de revistas em quadrinhos famosas no nosso universo que tiveram versões alternativas no outro universo como  Superman - O retorno do homem de Aço. Pensando nisso busquei na net as capas originais e as capas do mundo paralelo. 


*Capas do mundo paralelo:







 


*Comparação das capas em relação aos universos: 

esquerda universo alternativo e a direita "nosso universo"
 


Fringe: Massive Dynamic



Massive Dynamic é uma empresa privada responsável por desenvolver alta tecnologia para diversos fins tais como: para o aperfeiçoamento da tecnologia médica, comunicações, energia, transporte e entretenimento. Sua sede é em Nova York. De acordo com o testemunho de William Bell (Over There, parte 2) para Walter, enorme dinâmica não existe no universo paralelo. Na leitura do testamento de Bell, Walter se torna o único acionista da empresa.


*Divisões:

  • Extenza Life, filial de bem-estar (The Dreamscape)
  • Fleming Monroe, divisão Aeronautica (Of Human Action)
  • Ludic Science, divisão de entretenimento
  • Massive Logistic, filial de tecnologia de informações
  • Massive Energetic, equipe de desenvolvimento de energia
  • Massive Dynamic Foundation, entidade filantrópica 
  •  
    *Funcionários:






    • William Bell fundador. 
    • Walter Bishop tornou-se o único acionista da corporação em 2010, quando foi assumido que William Bell faleceu.
    • Nina Sharp é empregado como Chief Operating Officer.
    • Brandon é um cientista proeminente com considerável acesso a Nina.
    • Doutor James Carson é um cientista da divisão aeroespacial Fleming Monroe. (Of Human Action)
    • Mark Young foi uma investigação médica executivo (The Dreamscape), antes de saltar a morte do edifício da HQ.
    • Richard Steig anteriormente trabalhou em armas testes de instalação, mas foi interrompida depois de tentar roubar a investigação. (Piloto).
    • Elizabeth Zedillo é o diretora financeira.
    • Cyrus Manatt é o vice-presidente sênior.
    • Jason Smith é um Pesquisador de chumbo para ensaio clínico imunes e de câncer.
    • Ken Hutchens é responsável pela área da educação e o diretor de desenvolvimento.
    • Marie Tallia é o porta-voz da área de energia.
    • Martin Buitenheld é diretor criativo para a Fundação.
    • Marcia Sorrens é vice-presidente da Ludic Science.
    • Mark Johnson é um contato de relações públicas listado em comunicados de imprensa.
    • Jonathan Stadtler está envolvida com o departamento de assuntos públicos. 
    *Como ser da Massive Dynamic?

    No site deles: http://www.massivedynamic.com/ existe um link chamado carreiras ai lá encontra-se um espaço a fim de se anexar seu currículo:





    Existe os seguintes cargos: 

    1. Analista de risco sênior

    2. Pessoal de operações de cozinha
    3. Biólogo computacional
    4. Neuroprogrammer

    Descrição dos cargos:



    - Biólogo computacional


    Responsabilidades: Realizar uma pesquisa sobre a tecnologia de ponta no campo da área de biociências. Trabalhar em um ambiente multidisciplinar em conjunto com cientistas da computação, estatísticos, engenheiros e médicos para desenvolver novos produtos e tecnologias para apoiar a gestão avançada de processos biológicos e fisiologia.


    O que faz?:
    Fornecer modelos epidemiológicos e análise de dados à saúde e projetos militares.
    Desenvolver abordagens inovadoras de modelagem para simular processos biológicos e patológicos, incluindo a doença de quarentena e de extermínio.
    Participar na criação de projetos e propostas de subvenção com equipes que variam de 6 a 24 pessoas.
    Resultados e recomendações do documento através de relatórios escritos e apresentações.
    Publicar os resultados em internacionalmente reconhecidas revistas médicas e científicas.


    Qualificações:
    MD ou PhD em ciências biológicas ou áreas afins.
    Up-to-date conhecimento em oncologia, epidemiologia e patologia.
    Mínimo de 5 anos de experiência em modelagem epidemiológica
    Mínimo de 5 anos de experiência em pesquisa biomédica.
    Competência em desenvolvimento de software e gerenciamento de informações; fluência em C + +, Java, HTML e Pascal.
    Excelente resolução de problemas e habilidades analíticas




    - Analista de risco senior


    Responsabilidades: equipes de apoio às empresas na análise, fechamento e financiamento de transações comerciais. Auxiliar em todos os aspectos do processo de subscrição de ofertas comerciais, de estruturação inicial e preços através de emissão de proposta e aceitação para o fechamento final.


    O que faz?:
    Realizar análise de avaliação de projetos e empresas, e preparar completos modelos financeiros para a avaliação do projeto.
    Realizar a modelagem financeira para determinar o desempenho operacional e avaliar o risco.
    Desenvolver estratégias para mitigar riscos em curso, incluindo biológica, ambiental, mecânica quântica, e as ameaças legais / regulamentares para a rentabilidade do MD.


    Qualificações:
    MBA Grau com 6 anos de experiência em finanças ou + setor bancário com a exposição a subscrição grande transação comercial.
    Experiência em análise de demonstrações financeiras, modelagem financeira e avaliação.
    Experimente preparar informações financeiras, interpretando o desempenho financeiro, e avaliar a exposição ao risco.
    Experimente preparar e entregar apresentações de gestão e de pares.




    - Neuroprogrammer


    Responsabilidades: Gerir e coordenar a operação, modificação e criptografia de arquivos e programas em hardware e redes neurais.


    O que faz?:
    Gerenciar uploads e downloads de software para e de hardware neural e redes por meio de digital-para-orgânicos interfaces.
    Modificar os processos de gestão digitais para melhorar a eficiência e qualidade.
    Coordenar, controlar e executar os pedidos neuro-servidor de instalação, bem como a migração de recursos de projetos em diversas plataformas.
    Monitorar e solucionar problemas de hardware neural, software e problemas de rede.
    Apresentar relatórios semanais com os supervisores nas divisões de Computação e Biológicas.
    Algumas viagens talvez necessária.


    Qualificações:
    Mestre em Ciência da Computação ou mínimo 8 anos de experiência em TI.
    Trabalhar o conhecimento de binário-quaternário de tradução de idiomas.
    Familiaridade com vários sistemas operacionais e de plataforma cruzada transições.




    - Pessoal de operações de cozinha


    Responsabilidades: Gerenciar a preparação e entrega de alimentos de alta qualidade, nutritivo para os funcionários MD.


    O que faz?:
    Prepare o café, brunch, almoço, linner, jantar e lanches para os funcionários MD.
    Equipe de apoio à gestão e trabalho com a equipe de nutrição outra para entregar a "Best in Class" de serviços com padrões de qualidade das refeições gourmet.
    Implementar de aprimoramento de desempenho e de monitoração de iniciativas.
    Comunique-se sucessos e fracassos de forma eficaz com a alta administração ao fazer recomendações para a melhoria contínua no menu MD.


    Qualificações:
    Diploma do ensino secundário ou equivalente
    Mínimo 3 anos de experiência em várias unidades, volume alto, cadeia de qualidade ou de um restaurante independente.
    Experiência mínima de 1 ano com Microsoft Office e sistemas POS.






    *Um pocou da história da Massive Dynamic: 



    Em 1992, após anos de trabalho duro e pesquisa, William Bell finalmente conseguiu a criação da maravilhosa biomedicina que iria mudar a face da medicina atual e assegurar sua posição na história da ciência. Seu protótipo do circuito nano-eletrônico permitiu a tradução de impulsos neurais em dados, um grande avanço para as próteses móveis. Bell decidiu que tinha chegado a hora de encontrar uma empresa, que como ele mesmo disse, “que satisfaça as necessidades tecnológicas deste século e do próximo. Com o apoio de um pequeno grupo de investidores, BELLMEDICS nasceu.

    A contribuição de Bell para as próteses não poderia ter vindo em melhor hora. A Guerra do Golfo tinha acabo e a BELLMEDICS dava esperanças aos soldados que perderam membros do corpo no conflito. Com o apoio do Departamento de Defesa, Bell estabeleceu a base para a revolução das próteses que continua até hoje.

    A empresa cresceu rapidamente nos anos que se passaram, os engenheiros da BELLMEDICS desenvolveram uma série de ferramentas micro laser cirúrgicos e scanners fotónicos não-invasivos que iriam se tornar um padrão nas instalações médicas ao redor do mundo. Mas, para Bell, redefinir a medicina era apenas o começo.

    Bell fez parceria com novos investidores em 1998 para criar o Fleming-Monroe Aeronautics, que refazia motores de Jatos Comerciais e logo desenvolveu a aclamada PEARL Aerocontrol System. Em 1999, BELLMEDICS adquiriu a Fleming-Monroe e oficialmente mudou seu nome para Massive Dynamic.

    Em 2002, em seu aniversário de 10 anos de fundação, Massive Dynamic deu um salto para o mundo da informática e telecomunicações. Massive Dynamic Q-Security foi saudado como um sistema superior, sem falhas de rede para o governo, empresas e famílias. MD Computing e Communications cresceu rapidamente, especialmente nos ramos de inteligência artificial, bio-computação e criptografia quântica.

    Dois anos mais tarde, Massive Dynamic estourou no ramo de entretenimento. Em 2007, Ludic Science - filial de entretenimento da MD – tinha concebido software de efeitos digitais que foram todos utilizados em grandes estúdios cinematográficos. Enquanto isso, o console de videogame Mass-Dyn Z10 era um hit entre crianças e adultos, e a Giga-Def Televisions tomava lugar em milhares de lares ao redor do mundo.

    Hoje, Massive Dynamic é uma multi corporação que trabalha para o aprimoramento da medicina, comunicação, energia, transporte, entretenimento e tecnologia. Como a humanidade se move corajosamente para o futuro, Massive Dynamic vai estar logo a frente, cuidando da qualidade de vida das pessoas em todo mundo.



    *Prometeu e a Massive Dynamic



    Enquanto Fringe ainda estava sendo planejado pelos seus criadores. O primeiro nome escolhido para a hoje Massive Dynamic havia sido Prometheus Corporation, mas por problemas de direitos autorais teve que ser mudado na última hora. Vocês conseguem perceber a semelhança entre a pintura de Prometeu dando o fogo aos homens e o garoto com o avião de brinquedo da MD na mão?

    Prometeu foi um titã da mitologia grega conhecido por ter criado os homens com seu irmão e também por ter roubado o fogo dos deuses para presentear às suas criações. Prometeu representa a vontade humana por conhecimento, sua captura do fogo é a audácia humana pela busca de conhecimento e de compartilhá-lo.

    .: História



    A Prometeu e seu irmão Epimeteu foi dada a tarefa de criar os homens e todos os animais. Epimeteu encarregou-se da obra e Prometeu encarregou-se de supervisioná-la depois de pronta, assim Epimeteu atribuiu a cada animal um dom variado. Porém, quando chegou a vez do homem, que deveria ser superior a todos os animais, Epimeteu gastara todos os recursos, assim, recorre a seu irmão Prometeu que roubou o fogo que assegurou a superioridade dos homens sobre os outros animais. Todavia o fogo era exclusivo dos deuses. Como castigo a Prometeu, Zeus ordenou a Hefesto acorrentá-lo ao cume do monte Cáucaso, onde todos os dias uma águia ia dilacerar o seu fígado que, por ser Prometeu imortal, regenerava-se no dia seguinte.

    Prometeu foi libertado do seu sofrimento por Hércules que, havendo concluído os seus doze trabalhos dedicou-se a aventuras. Hércules fez um acordo com Zeus, trocando a imortalidade do centauro Quíron pela vida de Prometeu. Zeus, que afirmara que só o libertaria se um imortal abrisse mão de sua imortalidade e fosse para o Hades em seu lugar, concordou, liberando Quíron de seu sofrimento de ter recebebido uma flechada que não o matou, porém provocou-lhe dores terríveis e incessantes, para morrer tranquilamente.

    Alguns pontos podem ser ligados vagamente, como o fato de Prometeu ter dado o fogo aos homens como William Bell ter dado seus inventos. Mas será que assim como Prometeu que roubou o fogo dos deuses, William Bell teria roubado as invenções de uma outra pessoa?

    Sabemos que Walter estava internado durante 17 anos por conta de um incêndio que aconteceu em seu laboratório e que matou sua assistente. Onde estaria Bell, com 37 anos, nessa época? Acho que ele ainda trabalhava junto com Walter, porém diferente de Dr. Bishop, Bell conseguiu criar uma grande corporação 1 ano depois, em 1992.

    Vocês acham coincidência Walter Bishop ficar internado e perder seu laboratório enquanto William Bell obtém sucesso?



    *Propagandas da MD:






    *Produtos da Massive Dynamic nos episódios:


    Piloto (1x01)


    The Arrival (1x04)

    *Fotos da Massive Dynamic:











    Fontes: 

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...